15.2.10

Lígia

Porque também sou Lígia, para quem não sabe...


Eu nunca sonhei com você
Nunca fui ao cinema
Não gosto de samba
Não vou à Ipanema
Não gosto de chuva
Nem gosto de sol

E quando eu lhe telefonei
Desliguei, foi engano.
Seu nome eu não sei,
Esquecí no piano as bobagens de amor
Que eu iria dizer

Não, Lígia, Lígia.

Eu nunca quis tê-la ao meu lado
Num fim de semana

Um choop gelado em Copacabana
Andar pela praia até o Leblon

E quando eu me apaixonei
Não passou de ilusão
O seu nome rasguei
Fiz um samba-canção
Das mentiras de amor
Que aprendí com você.

Lígia, Lígia.

E quando você me envolver nos seus braços serenos
Eu vou me render
Mas seus olhos morenos
Me metem mais medo
Que um raio de sol

Lígia, Lígia.


Tom Jobim/Chico Buarque

4 comments:

Tiago Guimarães said...

O que tu foste descobrir maninha!

Música brasileira como deve ser... no Carnaval!

e depois... "Manhã tão bonita manhã"

casualimages said...

Olá sobrinha Lígia... :)

Desconhecia tal obra do Chico Buarque (mas a verdade é que sou algo inculto nesse aspecto).

Rose Dayanne said...

Acertastes em cheio na escolha da música... A letra é belissima e seus compositores são incrivelmente incríveis... eu sou fã dos dois.. mas confesso que mais do Chico...

Veja ainda do Chico:

Desalento
Roda Viva
Construção
Paratodos (ele fala de sua admiração pelo Tom nessa letra)

Chico e Tom
Anos Dourados
Retrato em Branco e Preto

Entre tantas e tantas outros...

guioximitsu said...

Interessante ;)